O que esperar do mercado de seguros em 2019?

Retomada do crescimento, puxada pelos negócios públicos

Mesmo que o mercado segurador tenha se mostrado resiliente aos períodos de recessão e estagnação econômica através de repetidos números satisfatórios, é notório que ele também sentiu os impactos negativos decorrentes da crise econômica.

Com a definição das disputas eleitorais e um maior nível de otimismo dos agentes da economia brasileira, o mercado segurador tem plenas condições de aproveitar essa oportunidade para elevar seus ganhos.

Após sofrerem os efeitos colaterais causados pela corrupção empresarial e política, os negócios públicos parecem que vão experimentar uma retomada do nível de atividade e ter uma significativa parcela de contribuição no agregado da economia.

Devido à grandiosidade dos negócios públicos, especialmente na parte de infraestrutura e energia, surgem riscos igualmente grandiosos para serem cobertos pelo mercado.

No entanto, é prudente salientar que a intensidade dessa retomada do crescimento puxada pelos negócios públicos está condicionada à resolução da situação fiscal problemática do governo federal e de alguns estados da federação.

Alguns estados não possuem fluxo de arrecadação adequado para honrar os compromissos e amortizar a dívida devido à capacidade produtiva da economia regional, enquanto outros precisam, somado a isso, encarar problemas econômicos regionais históricos, como a pouca diversificação da atividade econômica, que penalizou mais notadamente o Rio de Janeiro, altamente dependente do desempenho das operações do setor petrolífero e energético.

Permanência do protagonismo dos riscos cibernéticos

Os riscos cibernéticos vêm ocupando uma posição de protagonismo nas discussões do mercado segurador nos últimos anos.

Tudo indica que a discussão em torno do tema vai se intensificar e se ampliar para outras nuances, tendo em vista que há um interesse geral do mercado em tornar os produtos securitários ligados aos riscos cibernéticos mais refinados, popularizados e ajustados com as demandas dos negócios dos mais variados portes.

A consolidação do Seguro Garantia Judicial

O alto número de processos nas várias instâncias do judiciário foi um grande catalisador para o desenvolvimento de produtos securitários do segmento de garantia judicial.

Cabe aqui um destaque à nova legislação trabalhista, que passou a aceitar de forma explícita a utilização do Seguro Garantia Judicial por parte da empresa processada que visa recorrer na decisão do tribunal, endossando assim o entendimento já obtido através do Código de Processo Civil.

Existe margem para a expansão do produto, haja vista a judicialização da sociedade em seus vários aspectos.

No entanto, há uma questão que deve ser vista com cuidado no futuro: o índice de sinistralidade do produto.

Os critérios de aceitação utilizados atualmente pelos players do mercado podem se revelar inadequados em um cenário futuro, justamente pela alta expectativa que ronda o produto hoje, podendo haver uma compensação no prêmio médio cobrado pelas seguradoras ou restrições de aceitação de risco.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s